Uma das histórias mais inspiradoras que já vi

0
192

Turia Pitt, australina,completou a prova de Triatlo Ironman, cinco anos após ficar com 65% do corpo queimado em 2011. Foi para competir em uma ultramaratona, mas foi surpreendida com um incêndio que atingiu o ônibus que estava. Esta é uma das histórias mais inspiradoras que já vi. 

A Ironman é uma prova de triatlo em que os participantes correm por 42km, nadam 3,8km e percorrem 180km de bicicleta. Não venceu nem ficou entre os melhores, mas foi a maior vitória da sua vida, já que os médicos tinham informado que nunca mais poderia andar.

Em 2011, Turia foi encontrada no meio de um incêndio florestal quando disputava uma ultramaratona de cem quilômetros na Austrália. Ficou entre a vida e a morte com 65% do corpo queimado. Passou dois anos e meio internada num hospital, perdeu cinco dedos das mãos e passou por cerca de 200 operações. Após as cirurgias, ela se comprometeu em participar da corrida de Ironman. Ela descreveu como seu “desafio final para provar que sou mais forte, mais apta e mais rápida do que estava antes do fogo”.

Superação que emociona

As marcas ficaram para toda a vida, mas Turia Pitt não desistiu. Ela precisava cumprir o desafio e no último fim de semana aventurou-se numa Ironman só ao alcance dos mais resistentes. O sorriso dizia tudo – o esforço feito nos últimos anos para contrariar o veredito dos médicos deu dado resultados. “Estou realmente orgulhosa. Não foi uma corrida perfeita e nem tudo correu como planejado. Mas me empenhei a fundo e dei tudo de mim. Não podem me exigir mais do que isto”, desabafou no Twitter, depois de terminar a dura prova em 13 horas, 24 minutos e  41segundos.

A ex-liga de rugby australiana e o sindicato de rugby internacional Mat Rogers, que agora compete nos triatlos de Ironman, estava em Port Macquarie para testemunhar a conquista de Pitt e estavam admirando de sua coragem.

Rogers publicou no Instagram e disse aos seus 17 mil seguidores: “Provavelmente uma das coisas mais inspiradoras que eu vi … Com 70% do corpo queimado durante a ultramaratona quando pegou fogo, foi de 100 a 1 para sobreviver e disse que nunca mais caminharia.”

“Desafiou a todos e acabou de completar a Ironman. Lágrimas nos meus olhos assistindo isso”.

FONTE:Dailymail, DN

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here